sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012

Inspeção de segurança


A Inspeção de Segurança permite detectar riscos de acidente possibilitando tomar medidas preventivas com o objetivo de eliminar, neutralizar ou controlar os riscos encontrados.
TIPOS DE INSPEÇÃO:
Geral: envolve todos os setores da empresa com problemas relativos à Segurança.
Parcial: quando é feita em alguns setores da empresa ou certos tipos de trabalho, equipamentos ou maquinas.

De Rotina: traduz-se pela preocupação constante de todos o trabalhadores, do pessoal de manutenção, dos membros da CIPA e dos setores de segurança.

Periódica: são inspeções efetuadas em intervalos regulares programa das previamente e visam apontar riscos previstos como: desgastes, fadigas, super - esforço e exposição a certas agressividades do ambiente a que são submetidos maquinas, ferramentas, instalações etc. ..

Eventual: é a inspeção realizada sem dia ou período estabelecido e com o envolvimento do pessoal técnico da área.

Oficial: é a inspeção efetuada pelos órgãos governamentais do trabalho ou securitários. Para este caso, e muito importante que os serviços de segurança mantenham controle de tudo que ocorra e do andamento de tudo o que estiver pendente e que estejam em condições de atender e informar devidamente a fiscalização.

Especial: é a que requer conhecimentos e/ou aparelhos especializa dos. Inclui-se aqui a inspeção de caldeiras , elevadores, medição de nível de ruídos, de iluminação.

A inspeção no local de trabalho é um dos procedimentos importantes de antecipação intempéries em relação à Segurança e Medicina do Trabalho, por isto é ideal que os profissionais adotem procedimentos de inspeção para que se eliminem riscos de baixo, médio e grande porte, oferecendo aos setores laborais qualidade e segurança aos colaboradores da empresa.

Inspeção prévia
Todo estabelecimento, antes de iniciar suas atividades, deverá solicitar aprovação de suas instalações ao Órgão Regional do Ministério do Trabalho (MTb).O Órgão do Ministério do Trabalho emitirá o Certificado de Aprovação de Instalações - CAI, após a inspeção prévia.

A empresa poderá encaminhar ao Órgão do Ministério do Trabalho uma declaração das instalações do estabelecimento, que poderá ser aceita, para fins de fiscalização, quando não for possível realizar a inspeção prévia antes do estabelecimento iniciar suas atividades.

A empresa deverá comunicar e solicitar ao Órgão do Ministério do Trabalho, a aprovação quando ocorrer modificações nas instalações ou equipamentos de seu estabelecimento.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Liderança comunitária discursa sobre segurança pública



No bairro de Mangabeira em Jampa, na sede da igreja Beth Shalom do pastor Roberlando, liderança comunitária discursa sobre segurança pública.

Participantes

José Gonçalves - Coordenador do evento
 Edson Cruz - Falou sobre a escuridão em vias públicas que felicitam os assaltos e a importância de instalações de câmeras.
Cazuza – Falou sobre drogas, construção de clínica de reabilitação em nossa cidade e promoção de cursos profissionalizantes.
 Zuma – Falou sobre a violência doméstica que reflete nas escolas, o dever de educar é da família e vulnerabilidade da juventude.
 Professor Mendes – Falou sobre a importância da reunião, a omissão da família, os avanços sobre o tema na escola e ampliação do debate em um fórum municipal.
Wallace – Falou sobre a presença das autoridades policiais as ruas realizando blitz e iluminação pública.
Professora Rosa – Falou sobre o uso de crack (droga) nas escolas, incentivo ao jovens a prática de esportes, presença do polícia nas ruas e participação dos jovens na igreja.
Severino – Falou sobre a violência no Trânsito e menores pilotando veículos em vias públicas.


Nossa participação, incentivo as ações desenvolvidas pela comunidade junto ao poder público.


Fotos
Laercio Silva 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Informações importantes sobre proteção respiratória



Nas muitas atividades de trabalho existem inúmeros e minúsculos contaminantes que ficam suspensos no ar.

O ar que respiramos é composto de aproximadamente 21% de oxigênio, 78% de nitrogênio e 1% de outros gases. Nesta combinação, estes gases mantêm a vida. Sua saúde depende do ar puro que você respira, porém quando outras substâncias estão presentes, você está sujeito a irritações, indisposições, problemas de saúde e até mesmo a morte.

Os riscos em um ambiente de trabalho, muitas vezes, não são percebidos.
Qual o papel da empresa? Sua empresa deverá inspecionar regularmente os locais de trabalho para identificar e avaliar a natureza dos riscos que podem estar presentes. Também proporcionar aos seus funcionários a proteção respiratória adequada, bem como informações e treinamento, sobre o uso correto dos equipamentos.

Você também desempenha um importante papel. Depois de selecionar o respirador apropriado deve utilizá-lo sempre que estiver em uma área que necessite de proteção respiratória. Para sua própria segurança, verifique se o seu respirador está se ajustando bem ao rosto e se é necessário algum reparo.

Também deve comunicar à sua supervisão se houver problemas com o equipamento ou se você tem alguma enfermidade como asma, alergias ou pressão arterial elevada, que o impeça de usar um respirador.

Você e sua empresa podem trabalhar juntos para proteger a saúde dos trabalhadores em situação perigosa.

CONHECENDO OS RISCOS

É importante conhecer os possíveis riscos que podem afetar a sua saúde. Simplesmente porque o ar parece puro, não significa que não existem riscos, muitas das vezes eles não são visíveis e nem têm cheiro.

Se você conhecer a existência dos perigos, poderá proteger-se deles.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

INSS pode perder 50% dos peritos em atuação


Possibilidade iminente de afastamento por aposentadoria de cerca de 19 peritos médicos pode afetar atendimento do INSS em 141 municípios.
Por: Georgia Simonelly
Jornal da Paraíba

Os atendimentos aos interessados em solicitar auxílio-doença do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em 141 municípios paraibanos, atendidos pela jurisdição de Campina Grande, poderão ser prejudicados devido à possibilidade iminente de afastamento por aposentadoria de cerca de 19 peritos médicos que atuam na região, o que representa 50% dos profissionais.

Caso os servidores do instituto tenham interesse em se aposentar, de forma gradual, em aproximadamente um ano, as dificuldades do trabalho dos peritos que continuarão em atividade serão multiplicadas, já que segundo o chefe da Seção de Saúde do Trabalhador da Gerência Executiva de Campina Grande, Danilo Nóbrega (membro do CPR-CGR), cinco municípios estão funcionando sem perito: São Bento, Catolé do Rocha, Itaporanga, Teixeira e Bonito de Santa Fé.

Um fator ainda mais preocupante é que o concurso público do INSS, previsto para acontecer em fevereiro, destina 375 vagas para o cargo de perito médico em todo o país, mas apenas uma delas é voltada para o comando da jurisdição, com atuação na cidade de Cajazeiras.

De acordo com Danilo, existem 38 peritos nos 16 postos da jurisdição de Campina Grande e com a saída deles, ficaria uma média de um médico por unidade, já que até janeiro o órgão pretende inaugurar mais dois postos nos municípios de Queimadas e Santa Luzia, chegando a 18 agências na região.

Segundo o gerente da agência da Previdência Social CG Tiradentes, Jobson de Paiva, somente no posto metade dos peritos podem se aposentar até o próximo ano. “Temos seis peritos na unidade, três deles estão às portas da aposentadoria, dois deles podem solicitar aposentadoria proporcional até hoje mesmo”, disse.

Além do número reduzido de servidores para realização de perícia médica, o chefe da Seção de Saúde do Trabalhador aponta outras dificuldades enfrentadas pelos peritos. Uma delas é a distância entre as cidades atendidas pelo comando local, que em algumas situações chega a cerca de 400 quilômetros, provocando em alguns casos atraso no atendimento à população. Danilo destaca também que apesar de alguns avanços ao longo dos anos, a estrutura física e logística ainda precisa de incrementos importantes.

Nos municípios onde não existe perito, o atendimento é realizado através de escalas de revezamento, nas quais os servidores viajam participando de mutirões para atender à demanda, garantindo que haja uma média de atendimento a cada dez dias úteis.

Para o gerente executivo do INSS em Campina Grande, Eleumar Meneses, o problema relacionado ao afastamento dos peritos só será percebido a longo prazo, no período de um ano. “Até lá temos tempo para negociar com o governo federal para analisar o contingenciamento de vagas ou mesmo realizar a transferência de alguns profissionais e até o remanejamento de vagas do concurso que acontece no próximo ano”, explicou.



Coparticipante
Ribamar
Coordenador
CPR-CG

domingo, 25 de dezembro de 2011

Construção civil ainda sofre com a falta de trabalhadores



De acordo com presidente do Sinduscon-PB apesar do déficit enfrentado no começo do ano, perspectivas são boas para 2012.

Apesar da melhora setor ainda enfrenta dificuldades quando o assunto é contratação Quando o assunto é apagão de mão de obra, o setor da construção civil não pode ficar de fora. Afinal, os empresários do setor reclamam da falta de profissionais capacitados para preencher as vagas oferecidas. Resultado? Sobra vagas na construção civil. Todavia, na Paraíba, o cenário começou a mudar, conforme o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil da Paraíba (Sinduscon-PB), Irenaldo Quintans.

Situação bem diferente da registrada no início deste ano, quando representantes do setor externaram a preocupação diante da falta de mão de obra. “Algumas ações foram deflagradas, como a execução de programas de treinamento dentro do canteiro de obras”, revela Quintans. Segundo ele, as ações foram adotadas em caráter emergencial.

Segundo ele, no primeiro trimestre deste ano, a situação era considerada muito preocupante. Apesar da melhora, o setor ainda enfrenta dificuldades quando o assunto é contratação.

Temos boas perspectivas de solução para os próximos meses. Terminamos o ano com o problema menos grave que no início”, disse Quintans, afirmando que a tendência é o equilíbrio. “As providências adotadas já surtiram algum efeito”, frisou.

Não são raras as empresas que contratam funcionários sem experiência e oferecem treinamento, só para a situação não ficar ainda mais crítica. No início de 2011, uma pesquisa publicou o ranking das profissões mais promissoras no mercado brasileiro.

Em primeiro lugar, apareceu as engenharias. O aquecimento da construção civil é reflexo dos investimentos do Governo Federal para a compra da casa própria e a estrutura para a Copa do Mundo.


 

Cai exigência de placa de alerta para radar




Vias urbanas e rodovias não precisam mais ter aviso sobre fiscalização eletrônica, segundo resolução do Contran. Obrigatoriedade existia desde 2006; motoristas só reduzem velocidade onde há sinalização, afirma inspetor da PRF

Placa na rodovia dos Bandeirantes, indicando que a rodovia tem fiscalização eletrônica.

Os órgãos de trânsito não são mais obrigados a avisar sobre a existência de radares em vias urbanas e rodovias com fiscalização eletrônica.

Uma resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) oficializada anteontem revogou a exigência - em vigor havia mais de cinco anos.

Assim, os radares já podem ser colocados para multar os infratores mesmo onde não houver avisos, segundo entendimento confirmado à Folha pelo inspetor Jerry Dias, chefe da divisão de multas da Polícia Rodoviária Federal e conselheiro do Contran.

A medida tem a aprovação majoritária de especialistas devido ao argumento de que os motoristas têm que respeitar a legislação em todos os lugares -independentemente de saberem se há radar.

"Nos locais onde tem radar e placa avisando, as marcas de frenagem são intensas. Os condutores se viciaram em reduzir a velocidade somente nesses locais", afirma Dias.

Já os defensores do alerta de radar alegam que isso dá mais credibilidade à punição.

A obrigatoriedade das placas de aviso existiu até 2003, quando foi suspensa -voltando a ser exigida em 2006.

O Denatran, responsável pela presidência do Contran e comandado por Júlio Ferraz Arcoverde, não respondeu à Folha. Sua assessoria diz que não havia ninguém ontem para explicar as mudanças.

Em São Paulo, um projeto aprovado na Assembleia Legislativa prevê a obrigatoriedade de placas indicativas de radares a 200 m dos aparelhos. Porém depende de sanção do governador Alckmin (PSDB) - e pode ser contestado pelo argumento de que é competência da União.

PLACA DE VELOCIDADE

Pela resolução do Contran, apesar de as placas de aviso não serem exigidas, os radares não podem ficar escondidos. Para Horácio Augusto Figueira, mestre em engenharia pela USP, eles "não deveriam ser visíveis".

A norma federal também tirou a exigência de estudo prévio para radares móveis em rodovias - permitindo fiscalizar em qualquer ponto.

Permite ainda equipamentos móveis mesmo em trechos de rodovias onde não há sinalização da velocidade permitida. A alegação é que os motoristas devem conhecer os limites legais (em rodovias, até 110 km/h para carros). Essa regra, porém, não vale para vias urbanas, onde a sinalização ainda é exigida.

Alencar Izidoro
André Monteiro
Fabio Braga/Folhapress

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Ação comunitária noite de luz

Na ASPLAN - Associação dos Plantadores de Cana de Açúcar da Paraíba.

A entrega dos presentes as crianças das comunidades Porto de João Tota e Alto do Ceu bairro de Mandacaru dentro da programação da solenidade de entrega dos Prêmios as Decorações Natalinas da Cidade de João Pessoa, realização ACVB - Amigos da Cidade Verde do Brasil na coordenação de comunicação Antonino Pinguim e Renildo Pontes.
Nossa amiga Su recebendo os brinquedos
Renato recebendo briquedos do diretor do Mandacaru Fest George Pereira.
Criançada e Marcone Martins
George Pereira Diretor do Mandacaru FEST e Atonino Pinguim Diretor de comunicação ACVB .
Grupo Musical evangélico Hannah, Moisés Abílio e Villeneve.
Sorteios de brindes da NOVETY Cosméticos.
Momento de oração
Recebendo Certificado do concurso natalino
Certificado das residências, empresas públicas e privadas participantes do concurso.

Concurso Natal de Luz 2011 - Cidade João Pessoa.
A 11ª Edição do Natal de Luz, foi um grande sucesso, o evento foi realizado pela ACVB - Amigos da Cidade
Verde do Brasil, no auditório da ASPLAN - Associação de Plantadores de Cana da Paraíba, Centro.


A cerimônia aconteceu no dia 22 de Dezembro, sendo iniciada às 19h30m,  e foram contempladas este ano, um total de 100(Cem) Decorações Natalinas.



Os trabalhos na mesa foram abertos e  Presididos, pelo Diretor do Concurso Natal de Luz 2011, o (Jornalista e Multimídia, Sr. Antonino Pinguim ); pelo Presidente do Concelho Fiscal da Associação Paraibana dos Técnicos de Segurança do Trabalho, Dir. do Blog Laerciojsilva e Membro do Conselho do Orçamento Democrático da PMJP,  o (Prof. Laercio Silva ); Pelo Dir. Festival Multicultural Mandacaru Fest ( Prof. George Pereira ); e representando a Prefeitura Municipal de João Pessoa, foi convidado a compor a mesa, o ( Músico e Prof. do projeto Mais Educação, Sr. Moises Abílio).



O concurso é realizado anualmente, onde tem como objetivo maior; Fomentar e Reconhecer as Decorações Natalinas da Cidade de João Pessoa; O evento não tem fins lucrativos e nem premiação em dinheiro; Isto é, apenas entrega de Comendas Natalinas.



Este ano foram catalogadas 2 (Duas Mil) Decorações Natalinas, dentre as mais diferentes formas e criatividades; Isto é, 112 à menos que no ano passado.



Durante à solenidade, foi entregue as Comendas as Decorações Natalinas ali representadas, além de citações das demais agraciadas da noite; Foram distribuídos brinquedos para um grupo de crianças de comunidades carentes, além de sacolas com vários presentes entregues para os seguintes representantes: " Sra. Sueleide Barbosa - Comunidade Porto de João Tota " e o Sr. Renato de Souza - Comunidade Alto do Céu ", ambos do bairro de Mandacaru; No decorrer do evento houve sorteios de brindes da Novety Cosméticos, além de Convites de Limpeza de pele para todos os presentes.



Dentre os agraciados com o Prêmio Natal de Luz 2011, destacamos: Asplan - Energisa - Prefeitura Municipal de João Pessoa - Colégio Marista Pio X - 1ª Igreja Batista - Manaíra Shopping - Palácio do Governo do Estado da Paraíba - Centro de Ensino Fisk - Hotel Tambaú - Zeny Recepções - 1º grupamento de Engenharia - Hospital de Guarnição Militar de João Pessoa - EMLUR - Loja Chinesinha - Mercado Público de Mangabeira - Tambiá Shopping - 15º BImtz; Além das residências de vários bairros: Ipês, Alto do Céu, Porto de João Tota, Bairro das Industrias, Mangabeira, Cruz das Armas, Valentina, Centro, Jaguaribe, etc.



A solenidade do Concurso Natal de Luz 2011, foi abrilhantada pelos Artistas e Músicos " Moises Abílio e Villeneve, ambos integram o " Grupo Mannah Gospel ".



A direção do evento agradeceu o apoio da: Asplan - Imprensa - Mandacaru Fest - Prefeitura Municipal de João Pessoa - Grupo Mannah Gospel ", Blog do Laerciojsilva, Folha do Valentina, TV Jampa, Blitzjampa, O Jornal do Plantador, Marcone Martins(Palhaço Baba Baby),  " Contador Pedro Júnior  e o Artista Plastico Clóvis Junior, pela doação dos brinquedos as crianças ", a Dra. Hedionara Kiony e o Pres. da Asplan Sr. Raimundo Nonato, Toda Comissão Julgadora e Todas as Pessoas Físicas e Jurídicas que se empenharam em decorar suas Casas, Estabelecimentos, etc; Isto é, nas mais diversas categorias: Presépio, Iluminação de fachada, Residência, Escola, Árvore de Natal, Mercado Público, Shopping, Vitrine de Loja, etc.



Mais uma vez consolidamos o Concurso Natal de Luz , como assim fazemos e dizemos " Ilumine João Pessoa ", nós que fazemos a ACVB e a Coordenação do projeto, desejamos a todos e a todas; Feliz Natal, 


Boas Festa e 
feliz Ano Novo.



Contato: (83) 8737-1439       - Ass. Imprensa do Natal de Luz. 


Por Atonino Pinguim

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Festa de fim de ano na empresa


Os cuidados para não comprometer seu ambiente de trabalho.

O período de final de ano é marcado por grandes eventos entre empresas, entre fornecedores e empresas, entre empresas e clientes ou até entre futuros clientes ou fornecedores que acabam promovendo festas e eventos como sinal de um bom relacionamento comercial.

A grande maioria das empresas promove uma festa de confraternização entre os empregados como forma de agradecimento pelos ótimos resultados atingidos,  pelos prejuízos amenizados ou de forma a proporcionar maior interação entre os grupos de trabalho e também entre chefes e subordinados.

Nestas ocasiões, senão todos, a grande maioria dos empregados são convidados a participar, uns trabalhando para a promoção do evento, outros curtindo a festa com familiares ou mesmo sozinhos.

A dúvida é como se portar neste tipo de ambiente em que, amiúde, a comida e bebida são fartas e "de quebra", não precisa pagar nada, mas o exagero na alimentação ou no consumo de bebidas alcóolicas pode desencadear um transtorno para a vida pessoal e profissional.

Há aqueles que não se importam com nada e acreditam que este momento é o do "descarrego", seja por tudo que sofreu "na mão" do chefe, pelo aumento que não teve ou pela promoção merecida que acabou não acontecendo. "Por tudo isso, hoje é minha vez, é o dia da desforra...deixe o whisky aqui do meu lado!!!"

Por outro lado há os que não gostariam nem de comparecer à festa, mas por conta de muita insistência de um colega acaba se entregando ao apelo do amigo, muito embora ao longo de toda a festa, por medo ou vergonha, passa fome e sede e pronuncia, no máximo, quatro palavras para duas pessoas distintas sendo, "boa noite" e "tchau".

O ambiente de uma festa na empresa não é o mesmo ambiente de uma festa entre amigos da faculdade ou do futebol, são situações distintas que precisam ser compreendidas por quem as frequenta, pois ainda que se trate de uma festa, seria sensato manter certa discrição na forma de se vestir, sentar, comer, beber e claro, conversar.


Culto de Natal - Convite


Manual de Emprego de Mangueiras, Esguichos e Acessórios Hidraulicos


Manual de Emprego de Mangueiras, Esguichos e Acessórios Hidráulicos, foi elaborado pelo Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado São Paulo e é importantíssimo conhecê-lo.

Para fazer o Download clique na imagem abaixo e depois clique em Arquivo e Fazer o download no formato original.

domingo, 18 de dezembro de 2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Seminário de segurança e saúde no trabalho


Agradecimentos.

As coordenações dos projetos de fiscalização da construção civil, da indústria da transformação e de análise de acidentes do trabalho da SRTE-PB agradecem, aos grupo alliance e ldc-sev - unidade giasa pelo apoio ao Seminário de Segurança e Saúde no Trabalho.

José Ribamar Rodrigues Gomes
Coordenador do projeto da construção civil

Ulisses Freitas de Sousa
Coordenador do projeto da indústria da transformação

Ana Mércia Vieira Fernandes
Coordenadora do projeto de análise de acidentes do trabalho

Em Campina Grande-PB

Tema:

Gestão de segurança no trabalho -Inovações implantadas pelo grupo Alliance.

Palestrante:

Rosana Lima
Supervisora de segurança do trabalho do grupo Alliance.

Dia 15 de dezembro de 2011.

No auditório da federação das indústrias do estado da Paraíba - FIEP-PB


Em João Pessoa-PB

Tema:
Gestão integrada de segurança e saúde no trabalho - o modelo ldc-sev - unidade giasa

Palestrante:

Pedro de Almeida Soares
Engenheiro de segurança do trabalho do grupo LDC-SEV - unidade Giasa.

Dia 16 de dezembro de 2011.

No auditório da superintendência regional do trabalho e emprego na Paraíba - SRTE-PB.

Durante o seminário, foram apresentadas diretrizes e estratégias dos projetos de fiscalização da SRTE-PB (construção civil, indústria da transformação e análise de acidentes do trabalho).

A organização do seminário fez divulgações dos nomes dos doadores dos brindes sorteados.




Participaram empresas, entidades sindicais, associação, instituições públicas, profissionais liberais, engenheiros, técnicos de segurança do trabalho e estudantes.

Rodolfo Catão
Superintendente Regional do Trabalho e Emprego - PB.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Indústrias da Paraíba são homologadas pela Fiat


Após a confirmação do diretor de Relações Institucionais da Fiat, Antônio Sérgio Martins Melo, sobre as vagas de trabalho que serão oferecidas aos paraibanos, a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep-PB), se manifestou sobre a reunião do governador Ricardo Coutinho com a direção da Fiat, na última terça-feira, em Brasília. Para o presidente da Fiep-PB, Buega Gadelha, "várias indústrias paraibanas já foram homologadas pela Fiat para compor a cadeia produtiva da nova fábrica da empresa que será instalada no município pernambucano de Goiana - PE.

Entre os setores citados pelo presidente da Fiep que poderão ter empresas paraibanas participando da cadeia de produção da Fiat estão o de baterias e outros componentes de veículos, freios e amortecedores. “Podemos ser competitivos porque temos qualidade de preço e excelência na produção mecânica e elétrica”, ressaltou.

Referindo-se à questão da destinação das vagas de mão de obra da nova fábrica, Buega disse não ver razão para polêmica porque a equipe de funcionários será híbrida e terá funcionários, não da Paraíba e de Pernambuco, mas também de outros Estados da região, a exemplo do Rio Grande do Norte e do Ceará. “A contratação do pessoal vai depender da busca de cada um, e também da maneira com que cada um se apresente. Todos vão tentar tirar proveito dessa instalação, e temos que nos preparar para isso”, enfatizou.

O secretário executivo da Indústria e Comércio da Paraíba, Marcos Procópio, também acredita que as contratações vão se estender para toda a região, especialmente para a Paraíba. Segundo ele, o diferencial será a qualificação da mão de obra oferecida. “Está sendo elaborado um Plano de Capacitação de Pessoal para que haja profissionais capacitados quando começarem as seleções da Fiat".
Perguntas Frequentes Sobre LER?
Declaração: o conteúdo deste site é fruto de pesquisa, entretanto, não tem garantias de estar 100% correto. Se você acha ter alguma suspeita de LER, procure orientação médica. As informações aqui apresentadas não devem ser tomadas como base para diagnóstico. Somente o médico pode fazer diagnóstico da LER.
1.   Que é LER?

O termo LER refere-se a um conjunto de doenças que atingem principalmente os membros superiores, atacam músculos, nervos e tendões provocando irritações e inflamação dos mesmos. A LER é geralmente causada por movimentos repetidos e contínuos com consequente sobrecarga do sistema músculo-esquelético. O esforço excessivo, má postura, stress e más condições de trabalho também contribuem para aparecimento da LER. Em casos extremos pode causar sérios danos aos tendões, dor e perda de movimentos. A LER inclui várias doenças entre as quais, tenossinovite, tendinites, epicondilite, síndrome do tunel do carpo, bursite, dedo em gatilho, sindrome do desfiladeiro toracico e síndrome do pronador redondo. Alguns especialistas e entidades preferem, atualmente, denominar as LER por DORT ou LER/DORT. A LER também é conhecida por L.T.C. (Lesão por Trauma Cumulativo).

2.   A quem a LER ataca? A LER é contagiosa?

As principais vítimas são digitadores, publicitários, jornalistas, bancários e todos os profissionais que têm o computador como companheiro de trabalho.
Não é contagiosa, pois não é causada por bactérias, fungos ou virus, mas sim por movimentos repetitivos. 
3.   Porque há quem diz que LER não existe?

Penso que por se definir a LER como um conjunto de doenças e não como uma doença específica. Quando alguem diz que tem LER, na verdade trata-se de uma tendinite, tenossinovite ou outro tipo de doença causada por esforço repetitivo.
4.   Que significa DORT?

Disturbio osteomuscular relacionado ao trabalho
5.   Qual a diferença entre LER e DORT?

LER é a designação de qualquer doença causada por esforço repetitivo enquanto DORT é o nome dado as doenças causadas pelo trabalho. Alguns especialistas e entidades preferem, atualmente, denominar LER por DORT ou ainda LER/DORT. 
6.   Quais os sintomas da LER ?

Em geral dores nas partes afetadas. A dor é semalhante a dor de reumatismo ou de esforço estático, como por exemplo a dor causada quando se segura algo com o braço, por longo tempo, sem movimentá-lo. Há formigamentos e dores que dão a sensação de quemadura ou as vezes frio localizado.
7.   A LER é uma doença nova?

Não. Já na idade média era conhecida sob outros nomes, como por exemplo, a "Doença dos Escribas", que nada mais era do que uma tenossinovite, praticamente desaparecendo depois da invenção da imprensa por Gutemberg. Ramazzini, em 1700, também, descreve a doença dos escribas e notórios. Em 1895 o cirurgião suiço Fritz de Quervain descrevia o "Entorse das Lavadeiras" , atualmente conhecida como Tenossinovite de De Quervian, um tipo de doença causada por esforço repetitivo.
A LER, entretanto, acentuou-se demaisiadamente na decada de 1990, com a popularização dos computadores pessoais.
8.   A LER é causada somente pelo trabalho?

Não, também podem ser causa de LER atividades esportivas que exijam grande esforço. Da mesma forma a má postura ou postura incorreta, compressão mecânica das estruturas dos membros e outors fatores podem causar LER.
9.   Quais as possíveis causas das lesões por esforços repetitivos?

Podemos citar entre tantas outras,
1. posto de trabalho inadequado e ambiente de trabalho desconfortável
2. atividades no trabalho que exijam força excessiva com as mãos,
3. posturas inadequadas e desfavoráveis às articulações,
4. repetição de um mesmo padrão de movimento
5. tempo insuficiente para realizar determinado trabalho com as mãos.
6. jornada dupla ocasionada pelos serviços domésticos.
7. atividades esportivas que exijam grande esforço dos membros superiores.
8. compressão mecânica das estruturas dos membros superiores.
10. ritmo intenso de trabalho
11. pressão do chefe sobre o empregado
12. metas de produçao crescente e pre-estabelecidas
13. jornada de trabalho prolongada
14. falta de possibilidade de realizar tarefas diferentes
15. falta de orientação de profissional de segurança e ou medicina do trabalho
16. mobiliário mal projetado e ergonomicamente errado.
18. postura fixa por tempo prolongado
19. tensão excessiva e repetitiva provocada por alguns tipos de esportes
20. desconhecimento do trabalhador e ou empregador sobre o assunto

10.          Quais as doenças decorrentes de esforços repetitivos?

São diversas, a saber as mais comuns são,
1. tenossinovites
2. tendinites
3. epicondilite
4. síndrome do tunel do carpo
5. bursites
6. dedo em gatilho
7. sindrome do desfiladeiro toracico
8. síndrome do pronador redondo
9. mialgias 
11.          Que fazer em caso de suspeita de LER?

O mais recomendado é procurar o médico imediatamente e passar por uma avaliação. Também é aconselhavel parar com a atividade suspeita de ser causa da LER.

12.          Estou com suspeita de LER. Que médico devo procurar?

O site Repetitive-Strain-Injury.com recomenda que seja médico com conhecimento e especialização em LER/DORT, ortopedista, reumatologista ou neurologista. É comum o encaminhamento para fisioterapia depois de avalição médica.
O Repetitive-Strain-Injury.com também sugere os seguintes passos para a escolha do profissional de saúde:
1. qual a experiência que ele possui em LER?
2. qual sua eficiência no tratamento da LER?
3. como é o tratamento?
Por Etapas
O Que Mais Dói

Se a doença for identificada nesta fase, caracterizada por algumas pontadas, pode ser curada facilmente.

Dor mais intensa, porém tolerável, mais localizada, acompanhada de calor e formigamento.

Nem o repouso consegue, nesta fase, fazer com que a dor diminua por completo.
Incapacidade para certas funções simples.

Dores insuportavesi e só pioram tornado a parte afetada dorloria, sem força e deformada. O paciente tem depressão, ansiedade, insônia e angústia.
A doença já não tem mais cura.




Simulando o Descanço
A posição em que há menores chances de usuáruios de computadores desenvolverem LER simula a postura da pessoa quando descança em posição sentada; ou seja, com as mãos (quase) apoiadas sobre as pernas e o corpolevemente para trás.
Certo
Errado
Fonte: Ministério do Trabalho
Fonte:
 
http://www.areaseg.com/ler/queeler.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...